Como economizar combustível e ir mais longe com seu carro

Manutenção em dia, ar-condicionado, pé pesado? Quais são as principais características que interferem, positiva ou negativamente, no consumo de combustível do seu veículo. O primeiro ponto a ser analisado é a característica própria do motor e mecânica do carro. O que queremos dizer com isso? Seria injusto comparar o consumo de um carro pequeno, com motor 1.0 com um sedan com motor de 3.6 litros. Cada carro tem sua característica e, por isso, vamos abordar características e dicas que contribuem para economia de combustível em qualquer veículo, independente de sua potência, tamanho e características.

Ar-condicionado é um “ladrão” de combustível?

O ar-condicionado interfere diretamente no consumo de combustível, sim. Devido à sua forma de funcionamento, parte da força gerada pelo motor é transferida para o compressor de ar-condicionado, peça responsável por resfriar o ar externo e direcionar para dentro do veículo. De uma maneira geral, veículos mais antigos que possuem ar-condicionado, acabam aumentando o consumo entre 20% e 30% no momento em que estão refrescando o carro. Já em sistemas de refrigeração mais modernos o impacto já foi reduzido para os 10% de aumento no consumo de combustível.

Torque, pé pesado e mudanças de marcha.

Os três itens citados no título desse parágrafo estão relacionados. Para quem busca uma direção econômica deve estudar a maneira ideal de conduzir o seu carro. Como dito no começo dessa publicação, cada carro possui características únicas em relação ao seu funcionamento e à sua mecânica. É importante verificar no manual do proprietário, ou buscando pela internet, qual a faixa de melhor aproveitando da potência e torque, para realizar trocas de marcha precisas, econômicas e seguras – como momentos de ultrapassagem, subidas íngremes, entre outros momentos.

Se você é um motorista conhecido por ter um pé pesado, experimente fazer um teste. Repetindo sempre o mesmo trajeto e com condições similares (trânsito, ar condicionado, pessoas ocupando o carro, etc), encha o tanque do veículo, anote a quilometragem atual e ao final de uma semana encha novamente o tanque do veículo. Anote a quantidade de litros consumida nessa semana. Na outra semana, tenha calma na hora de pisar no acelerador. O ideal, em condições planas é que você mantenha o pé pisando apenas 1/4 do pedal. Afundar o pé, acelerar para chegar mais rápido ao farol fechado só vai contribuir para o aumento do consumo do seu carro.

E na estrada, como proceder?

Na estrada, o comportamento é um pouco diferente quando comparado com o uso urbano do carro. Em tese, quanto maior a marcha engatada, melhor para o consumo. Via de regra, marchas mais altas vão diminuir o giro do motor, garantindo uma economia. É importante manter a chamada velocidade de cruzeiro, na faixa entre 100 e 110km/h – inclusive essa é a velocidade permitida na maior parte das rodovias brasileiras. Mantendo o conta-giros na faixa de 1.800 e 2.000 RPM a economia é garantida. Compensando, inclusive, manter o ar-condicionado ligado, realizando assim uma viagem segura, confortável e econômica.

Alguns carros possuem indicadores dos momentos ideais para troca de marcha e indicam o consumo instantâneo no painel e em tempo real. Se o seu carro possui esse recurso, observe com atenção e faça bom proveito dessas informações, economizando alguns bons trocados.

Outros fatores que contribuem para a economia de combustível do seu veículo:

  1. Utilize o freio motor: além de seguro é mais econômico manter o carro sempre engatado na marcha correta, do que manter o carro na “banguela” (em ponto morto). No ponto morto, é injetada constantemente uma quantidade de gasolina para manter o motor funcionando. Já com o carro engatado, o sistema da injeção eletrônica identifica a quantidade ideal de combustível, podendo inclusive ser cortada totalmente aproveitando apenas a energia cinética do veículo.
  2. Pneus calibrados e rodas balanceadas e alinhadas: Quanto mais vazio o pneu se encontrar, maior será o esforço realizado pelo motor para fazer com o que o carro se locomova. Resultado disso: maior o consumo de combustível. Verifique semanalmente a calibragem dos pneus e fique atento às alterações necessárias quando for viajar, de acordo com as informações do manual do proprietário. Normalmente, essa informação também se encontra próximo à portinhola de combustível ou da coluna central do veículo, da porta do motorista. Pneus carecas, rodas desalinhadas e até mesmo de tamanhos diferentes das rodas originais do carro podem resultar diretamente em gastos no combustível.
  3. Manutenção e troca de óleos, filtros: Toda manutenção é bem vista, inclusive já falamos sobre esse assunto aqui no blog – clique aqui para ler a matéria. É importante seguir a recomendação das revisões programadas e sempre levar o carro em uma oficina confiável.

Se você está procurando o seguro ideal para o seu veículo, acesse nosso site e peça uma cotação.